Cervicalgia

A coluna cervical é a parte da coluna composta por vértebras que se estendem do tórax até à base do crânio. As cervicalgias resultam de anomalias nos tecidos moles (músculos, ligamentos, nervos) ou nas estruturas ósseas da coluna cervical. As causas mais comuns são lesões causadas por traumatismo ou excesso de sobrecarga. A artrite reumatóide pode também destruir as vértebras cervicais e causar dor e rigidez no pescoço. Mais raramente, as cervicalgias podem resultar de tumores, infecções ou anomalias congénitas e essas possibilidades nunca devem ser ignoradas.

Com frequência, a cervicalgia pode irradiar para os ombros, braços ou mesmo para as pernas e pode acompanhar-se de sensação de formigueiro, adormecimento ou fraqueza de partes do corpo.

Problemas frequentemente associados:
  1. A degeneração (que se inicia habitualmente a partir dos 40 anos de idade) provoca um estreitamento do espaço entre as vértebras, aumentando a sobrecarga exercida sobre as vértebras cervicais, com um consequente desgaste acrescido.
  2. Os discos podem deslocar-se comprimindo a medula ou outros nervos (hérnia discal).
  3. O facto de o pescoço ser uma região tão flexível torna-o mais vulnerável a traumatismos. Os desportos motorizados, a prática de saltos em piscina, os desportos de contacto e as quedas podem resultar em lesão das vértebras cervicais.
  4. Pode também ocorrer fractura da coluna com lesão da medula e paralisia.
Dicas para lidar com problemas da coluna cervical:
  1. Sempre que ocorre um traumatismo envolvendo o pescoço é crucial uma adequada imobilização dessa região de modo a impedir a ocorrência de lesões adicionais que podem causar paralisia. Essa imobilização deve ser realizada por pessoas com treino adequado (ex: após um acidente a equipa de socorro deve agir de imediato nessa imobilização ainda que não haja um “diagnóstico”).
  2. Na ausência de traumatismo, qualquer cervicalgia que seja contínua, persistente, grave, que se acompanhe de irradiação para os membros, fraqueza ou formigueiros deve ter acompanhamento médico.
  3. É também importante modificar as actividades quotidianas que podem contribuir para as cervicalgias, tais como a posição durante o sono ou quando se está sentado.
  4. Pratique exercicio fisico. Existem exercícios que podem aumentar a flexibilidade do pescoço. As massagens, realizadas por profissionais devidamente habilitados, podem igualmente ajudar.
  5. Mantenha peso adequado e bons habitos de vida.
A cervicalgia pode tornar-se crónica?

Sim. As cervicalgias podem tornar-se crónicas, sobretudo com o avançar da idade, dada a associação com o progressivo estreitamento do canal espinal e os fenómenos de artrite na região do pescoço. Estes casos interferem muito com a qualidade de vida dos pacientes.

Create a website or blog at WordPress.com

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: