Lombalgia

Lombalgia! 90% da população terá pelo menos um episódio ou crise de dor na coluna ou lombalgia no decorrer da vida. E os motivos para isso estão cada vez mais frequentes.
A coluna lombar situa-se entre a última costela e as nádegas.

Quais as principais causas de lombalgia?

  1. A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento errado que o paciente fez (como carregar peso em excesso ou de forma errada; abaixar o tronco para pegar algum objeto, com as pernas esticadas; fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão ao invés de rodar todo o corpo; ou, ainda, pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás.)
  2. Hérnia Discal
  3. Apesar de rara, a causa da dor pode ser a presença de fraturas, tumores ou até mesmo uma infecção da coluna.

Somente com uma avaliação médica podemos saber se é alguma doença mais grave ou não.

Tive uma dor lombar aguda. E agora?

Os casos de lombalgia aguda são, normalmente, quadros benignos e autolimitantes, ou seja, o paciente melhora a dor utilizando medicações ou não. É muito importante deixar claro que o paciente não perderá a sua dor em poucos dias mas sim em algumas semanas. No entanto, para aliviar o sofrimento do paciente, o médico pode indicar medicações analgésicas, anti-inflamatórias e relaxantes musculares que, associadas à fisioterapia e à acupuntura, proporcionam alívio importante da dor. Outro fator importante é encorajar o paciente a não ficar em repouso e reassumir suas atividades assim que a dor apresentar uma melhora inicial. Mesmo em casos de dor lombar de forte intensidade, o paciente deve evitar o repouso prolongado. O “tratamento” pode ser avaliado pelo próprio paciente: se a cada semana ele estiver melhor que na semana anterior (é porque o tratamento está no bom caminho).

 

A lombalgia pode tornar-se crónica?

Quando a dor lombar dura mais que 12 semanas é caracterizada como lombalgia crônica e, por ter causa multifatorial, é bem mais difícil de ser tratada. O diagnóstico preciso é fundamental para um tratamento correto. Isto nem sempre é fácil e, muitas vezes, o especialista em coluna necessita do auxílio de outros profissionais para o diagnóstico. Daí, a importância do tratamento multiprofissional.

Por exemplo, pacientes com dor lombar mecânica, que piora com movimentação e melhora com o repouso, são a maioria e devem ser avaliados para os possíveis diagnósticos envolvendo este tipo de dor. Por outro lado, pacientes com dor lombar de padrão inflamatório, que piora ao repouso e melhora com a movimentação, devem ser sempre avaliados pelo reumatologista.

Create a website or blog at WordPress.com

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: